Pages

Rostos da Estrada

Desci do carro para esticar as pernas. Viagem longa precisa ter um meio, e aquele posto me pareceu propício. Adoro lugares estranhos, pessoas diferentes. Nisso, rodoviárias e aeroportos são um paraíso. Procuro ver nos rostos efêmeros o máximo de história que o brilho dos olhos me possa oferecer. A cada piscar de olhos, tiro fotografias entrecortadas de seres que muito provavelmente jamais verei. Enfim, alegremente:
- Oi, boa noite! Tudo bem? Por favor, um misto quente.
- É para viagem?
- Não.
Minutos depois:
- Quem pediu o misto?
- Foi este senhor aqui, disse ela.
Sim, aquele senhor era eu! E olha que nem cabelos brancos eu tenho ainda. Fui anunciado à minha realidade sem pudor algum pelas jovens atendentes de um posto de beira-de-estrada. Logo eu que me achava abençoado pela síndrome de Peter Pan, levo um soco na cara desse jeito! Nem ao menos perguntou quantos anos eu tinha e me mostrou a ficha de inscrição no clube dos tiozinhos. Não tive dúvidas e me vinguei:
- Olha mocinha, mudei de ideia, por favor, embrulha aí que eu vou levar.
- Sim, senhor! (Que ódio! Pensei).
O mínimo que eu poderia fazer era dificultar o trabalho dela, já que ela tinha acabado com a minha viagem. Normalmente a sinceridade inocente é muito mais cruel que a ofensa. É diferente do adversário que fala para agredir, a espontaneidade mostra a realidade como quem vê fotos e relata o que vê. Porém, ao dificultar o trabalho de quem havia sido sincero demais comigo, dificultei minha volta para casa.
Tentei comer o meu misto dirigindo. Que lástima! Tentava engolir minhas memórias de infância que antes pareciam tão próximas e agora me haviam sido afastadas. Autoimagem demora a envelhecer, precisa mais do que espelho, precisa do alerta dos outros.
- Vrrrrrrrrrrrrommmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm.
Passa um caminhão do meu lado. O carro até balança. Que bagunça aqui dentro! Pareço um periquito espalhando farofa na gaiola. Desisto do lanche. Ou dirijo, ou como. Volto aos meus pensamentos tentando não perder a atenção na estrada.
Pista simples é como a vida: não se tem segurança nas ultrapassagens. Malditos caminhões! Perco um tempão antes de ultrapassar dois deles de uma vez. Nem pude ver a paisagem ao lado.
A viagem nem está perto de terminar. A noite cai e os faróis ainda nem iluminam a escuridão, são como as estrelas do céu. Neste lusco-fusco me disfarço e protejo na velocidade. Atravesso verdadeiras florestas negras e meu olhar tenta se aprofundar nas copas das árvores que me cumprimentam enquanto passo. Penso que vi de relance uma raposa atravessar a pista. Foi salva pelo desencontro.
Logo em seguida, vejo na distância faróis que cruzarão meu caminho. Prefiro os vermelhos da traseira aos brancos da dianteira. Faróis brancos são encontros dos quais sempre esperamos fugir. Quantos são? Dois? Não, são quatro! Êpa! Onde esconderam o acostamento desta estrada? Lembro novamente da cena acontecida no posto, temo que não haja mais acostamento na minha vida. Ufa, os carros passaram! Xingo em silêncio em oração por estar vivo. Para celebrar, ligo o som. Músicas de todos os tipos e épocas. Isso me transporta. Preciso de memórias para me ocupar melhor com o presente e assim ele passa melhor.
Entro na garagem de casa, desligo o motor e respiro fundo. Mais uma epopeia de riscos e insanidades. Vem correndo meu filho e diz:
- Paaaaaaaaaaaaiiiii como você demorou, hein! Vem brincar comigo?
- Claro! Pode escolher: Lutinha? Futebol?
- O que você trouxe pra mim? Parou em algum posto?
- Não, filho, eu vim direto.

Emerson Batista

12 comentários:

Anônimo disse...

A vida é mesmo uma viagem. E vc desenhou pra mim. Amei!
Elan Popp

Anônimo disse...

A vida é mesmo uma viagem. E vc desenhou pra mim. Amei!
Elan Popp

Daniella Caruso Gandra disse...

Eme, ora oara, está entrando na crise da meia idade, hein? (brincadeira). A moça do posto só estava tentando ser educada, a mim tbem me chamam de senhora em alguns lugares, e nem por isso me sinto velha. Porém, estou um pouco mais velha, com 31 rsrs.. Adorei seu texto, bem engraçado. A parte que enquanto você passa, as árvores conversam contigo é boa demais!!! Sejamos então, como as árvores, firmes e "verdes". Bjos.

Rosângela Monnerat disse...

Quando me entenderam pela primeira vez neste conflito, nem sabiam que eu existia.
Foi o Rubem Alves, descrevendo uma passagem que vivera no metrô de São Paulo.
Se vc ainda não leu esta dita crônica, vale a pena que leia. Foi publicada na Folha e já saiu em livros dele. Adoro!
O Rubem também se assustou, como nós. E descreveu sua indignação de forma doce, impecável como de costume. Também foi uma moça que se encarregou de provocar-lhe o dano à auto-imagem.
Ah...essas moças, jovens moças...
Ah...se soubessem o que eu sei...

Então, segure o lucro, porque o prejuízo com o tempo ninguém segura.
Beijo!

Poeta da Colina disse...

Tem coisas que é melhor deixar na estrada.

Van disse...

Olá Emerson

Tem um agradecimento para você em meu blog, por seguir-me, passe lá depois

Abçs

Van disse...

Obrigada por me deixares um carinho, Emerson.

Autoimagem não demora...acho que nunca envelhece, somos nós em qualquer época e tempo, as pessoas é que vêem em nós o externo, nós vemos sempre o que somos dentro.

andreiaborba disse...

"Mais uma epopeia de riscos e insanidades."

Amei!

Abraços,
Déia

Vanessa Lira Leite disse...

"Penso que vi de relance uma raposa atravessar a pista. Foi salva pelo desencontro." Quantas vezes nossa simples presença pode destruir? Adorei o texto! Parabéns!

Maria Rita disse...

"Normalmente a sinceridade inocente é muito mais cruel que a ofensa."

Rsrsrs...FATO!


Beijos pra Ti

Mônica Santos Duó disse...

Emerson,

Acredito que a jovem do postode conveniência tenha te chamado de "senhor" por questão de respeito.
A gente sabe a diferença quando o "senhor" é sarcástico para chamar de velho e quando é para atender bem e respeitar.
Além do que, acredito que não há nada de errado em envelhecer. Quanto mais velho mais sábio e experiente.

Tábata Borges disse...

óh poeta, adorei seu blog e a forma como você escreve!

Cuidado ao dirigir em, quero ler muitos outros posts seus!

Estou te seguindo, beijos! ;*

http://diariodetabataborges.blogspot.com/

Instagram