Pages

AORISTO *



No breve e imenso instante te imagino
Comigo como sempre hei desejado.
Recrio, recomponho algum destino,
Revendo em labaredas o passado.

Mas nesta efervescência e desatino,
Cansei-te com meus mimos, foste embora.
E longe foi meu sonho repentino
No tempo que morreu naquela hora.

Assim, qual dor prefiro, então, querida?
Perder-te é mais fatal, é o fim da vida,
E o fim inevitável do presente.

Prefiro te encontrar na primavera
Que explode multicor enquanto espera
As chuvas do verão eternamente.


* Segundo Aurélio:
aoristo[Do gr. aóristos, ‘indefinido’, pelo lat. tard. aoristu.] Substantivo masculino. 1.E. Ling. Nalgumas línguas, como no grego e no sânscrito, forma que o verbo toma para indicar que uma ação passada é vista independentemente de noções aspectuais, como, p. ex., ter sido completada ou não, estar repetida ou não, ser duradoura ou não, etc.

Emerson Batista

5 comentários:

Maria Maria disse...

Impossível comentar! Lindo!!!!! Beijos

Teia de Textos disse...

Conforme conversamos, perfeito mais-que-nunca! E que assim seja por todo o sempre. Enquanto durar.

Luciana Arruda disse...

lindo,lindo...

Moni disse...

oie obrigado pelo visitinha
obrigado
Gostei muito daqui

bjos

Moni

Tyellë disse...

Reconstruir o passado, e imaginar um futuro...
Suas palavras são lindas

Obrigada pela visita
adorei o blog
voltarei sempre...

bjus

Instagram