Pages

O CIÚME



Estranhas que hoje negue-lhe o sorriso,
Que esteja triste e quase indiferente;
(A máscara dói mais que o ter juízo,
E amar consome o íntimo da mente.)

Espera! Não me digas que sabias
De tudo e que nem queres me escutar.
A dor que me tragava tu não vias,
Nem finjas entender se eu confessar.

Tu sabes que a tristeza no sorriso
É fácil disfarçar quando é preciso...
Por isso é que comparo meu ciúme

À rosa que, ferida mortalmente,
No vaso em que agoniza lentamente,
Não nega nem beleza, nem perfume.


Emerson Batista

4 comentários:

Teia de Textos disse...

Sempre amei esse soneto! Um dos mais perfeitos! Impossível não comentar!

Ana disse...

.Lindo. E sobre o anterior :: é tão bonito que não sei o que dizer:: e também quero sempre renascer.

Marcos disse...

Olá amigo!
Acompanho o seu site há algum tempo, e admiro muito o seu trabalho! Assim como você, eu aprecio muito a boa leitura, e admiro as pessoas com ideias a passar adiante...
Recebi um "selo" de reconhecimento pelo meu blog, e a incubência de passá-lo adiante, a blogs de que gosto muito, e o seu é um deles. Parabéns pelo seu trabalho!
Dê uma olhada no meu blog, no link http://grillopensante.blogspot.com/2009/03/gratidao.html , e veja como deve proceder, tomando o tópico como exemplo.É bem simples: cite no seu post de quem recebeu o selo, com o nome do blog devidamente "linkado"; adicione o selo no tópico; agora é sua vez de indicar 10 blogs de que gosta, sendo que todos devem ser também links.
Passe adiante! É um estímulo à leitura!!
Abraços... e parabéns!

Vampira Dea disse...

O ciúme assim parece a`´e coisa bonita.

Instagram