Pages

Lágrima no Oceano




Aqui neste oceano desigual
Às margens do meu sonho continente
Eu busco na maré do impenitente
As rosas que nasceram neste sal.

Sou brisa, meio água, ser concreto,
Imerso nesta idéia sem defeito
De ver nas profundezas do meu peito
O abismo onde escondi meu mar secreto.

Aqui na eterna luz do entardecer
Eu busco despertar e ter rever
Na imagem que espelhou-me o navegar.

Senão , voltar em sonho aos desenganos;
Quem sabe adormecer por mais mil anos
À espera de algum dia, à beira-mar.


Emerson Batista

2 comentários:

Teia de Textos disse...

Lindo! Imagem perfeita! :D

Feiticeira disse...

Desculpa a invasão, vim de um blog amigo Vampira Dea.

Parece que estamos sempre em buscar de algo que já se foi quando deveriamos buscar algo que possa ser. Mas assim é a vida

Ótimo domingo, beijos

Instagram