Pages

CANTILENAS



À noite as cores vivas são morenas
Em meio à brisa doce das esperas,
São musas entoando cantilenas
A quem seguir no sonho e for com elas.

É um místico silêncio em que preciso,
Na tela do momento ou do desejo,
Deixar que o sonho busque o teu sorriso
E acenda a noite escura com teu beijo.

Porém, teu vulto foge pela estrada,
Restando só vestígios, quase nada,
A cena de um encontro sem adeus.

Não sei quando surgiu e se termina
O olhar é meu pincel que te imagina
Inteira e te recria neste breu.

*

Emerson Batista

6 comentários:

Anônimo disse...

Emerson,

mais um poema que nos surpreende, simplesmente fantástico... vc sabe dar vida às palavras.
Parabéns por mais uma obra de arte.

Vampira Dea disse...

Adoro...tá inspirado hein? Mais do que nunca!

Patrícia Lara disse...

Olá Emerson! Tudo bem?

Estou passando para me despedir.

Estou fechando o meu blog e não sei ao certo quando retornarei, então, vim agradecer a sua visita e suas palavras gentis lá no meu blog.

Obrigada mesmo... apesar de ter sido um tempo curto, foi bastante proveitoso pra mim.

Virei te visitar, tá bem?

Um grande abraço e continue embelezando o mundo com o seu poetar.

Patrícia Lara

GiGi disse...

Está certo que uma semana não foi muito, rs.

Meu novo blog (é o mesmo, mas reconstruído, eheh): www.sonsdopensamento.blogspot.com

Aguardo sua visita :-)

Beijos!

Giovana disse...

Obrigada, Emerson! Fiquei feliz que tenha gostado :-)

Beijo!

Pensamentos da Náti disse...

Pai vc é 10!

Instagram